Sessão Especial homenageia o Grupo Help como ato de reconhecimento ao trabalho feito por voluntários

0

Iniciativa de autoria do vereador Juá contou com a presença de autoridades, palestrantes, voluntários do grupo e de membros da sociedade civil

Belém (PA) Na manhã desta quarta-feira, 27, foi realizada no salão plenário Lameira Bittencourt, da Câmara Municipal de Belém, a sessão especial em homenagem ao Grupo Help. A iniciativa foi de autoria do vereador Juá visando reconhecer o trabalho de prevenção aos problemas de ordem psicológica e emocional que ajuda milhares de pessoas a superarem seus traumas, medos, e vencerem a depressão, automutilação, síndrome do pânico, transtornos de ansiedade, suicídio e diversos problemas que fazem inúmeras vítimas atualmente. “Os tempos mudaram e precisamos estar atentos às coisas que surgem ou agravam. Como mostram as estatísticas são muitos efeitos preocupantes que comprometem a sanidade mental, a saúde emocional e a qualidade de vida de tantas pessoas. Saber que existe um grupo que se propõe voluntariamente a ajudar aqueles que tanto precisam de ajuda é motivo de satisfação e reconhecimento. Muita gente é alcançada diariamente pelo Help, isso é gesto de amor ao próximo e deve ser considerado por cada um de nós”, disse Juá.

O Edilson Nascimento, 49, é servidor público, professor na Escola Estadual Dom Pedro Primeiro, no Conjunto Val-de-Cans, em Belém. Ele é considerado um contribuinte do Help e explica como conheceu o projeto. “Estive fazendo um trabalho em sala de aula quando uma aluna perguntou a mim se eu conhecia o projeto Help por onde havia sido atendida quando passava por muitos problemas internos como a depressão e ansiedade. Ela me falou sobre a possibilidade de levar o projeto à escola e eu fiquei muito feliz com essa orientação. Logo depois de eu receber essa sugestão, soube que ela era uma das coordenadoras do projeto, então fizemos uma agenda para levar o Help na escola e todos de lá puderam conhecer esse trabalho”. O professor falou ainda sobre a sua visão profissional e social do Help, “Eu penso que toda ação que é para o bem é válida. Vemos hoje os nossos jovens serem bombardeados por tantas coisas fora do contexto. Vejo que um projeto que valoriza a vida simplesmente tem uma relevância muito grande. Eu abracei a causa, gostaria de levar, inclusive várias vezes, mas sei que o projeto tem toda uma organização. Fico muito feliz, como professor percebo que há uma necessidade muito grande porque nunca fomos tão bombardeados pela depressão. Os nossos jovens precisam de todo o apoio e amparo que o Help proporciona como atenção. Que esse projeto possa alcançar muito mais escolas”, finalizou.

O coordenador do Grupo Help no Pará, Ricardo Cesar, falou na tribuna sobre como surgiu o projeto, “Estou muito feliz por estamos aqui. Agradeço ao vereador Juá por esta sessão em nome dos 205 voluntários do Help no Pará. Sabemos que não é fácil por ser um assunto muito delicado para a nossa sociedade. Enfrentamos um período muito delicado que foi o da pandemia, de lá para cá muitas pessoas, como mostram as estatísticas, desenvolveram o hábito de tentar ou tirar a própria vida. Foi a partir daí que surgiu o projeto Help, para darmos uma palavra, acompanhar, ajudar a quem precisa. Na vida não podemos ter nenhuma opção de jogar a toalha, independente de qualquer tristeza profunda. O nosso único objetivo é mostrar que vale a pena viver, lutar, ser resistente, não desistir e superar todos os pensamentos, dúvidas e preconceitos”, disse.

REFLEXOS DA PANDEMIA

O número de suicídios no Brasil cresceu 11,8% em 2022 na comparação com 2021. O levantamento faz parte do anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado em Julho. Em 2022, foram 16.262 registros, uma média de 44 por dia. Em 2021, foram 14.475 suicídios. Em termos proporcionais, o Brasil teve 8 suicídios por 100 mil habitantes em 2022, contra 7,2 em 2021.

SOBRE O HELP

Consciente dos dados alarmantes em todo o mundo, o Help – que significa “ajuda” em inglês, foi criado sem nenhum fim lucrativo, com o objetivo de diminuir as estatísticas preservando e motivando a vida. Para o grupo sempre há uma saída e, dentre todas as opções possíveis, acabar com a vida nunca é a solução.

Os que integram o projeto ajudam pessoas de todos os lugares do Brasil e do mundo através de palestras, reuniões, caminhadas, eventos de conscientização e motivação em lugares como pontes, passarelas, viadutos, sinais de trânsito, praças, escolas, empresas, estabelecimentos, e os mais diversos locais, distribuindo principalmente, cartas com frases de superação e disponibilizando o contato do projeto. Além disso, o Help promove e auxilia no ensino ao autoconhecimento, no gerenciamento das emoções, do bem-estar nos relacionamentos, da escuta qualificada, dos aconselhamentos e ainda estabelece vínculos de confiança.

Através do “Caminho do Desabafo On-line”, e com o lema “Não te julgo, te ajudo”, é promovida a escuta qualificada de forma que qualquer pessoa se sinta à vontade para falar de si e de seus conflitos. Milhares de pessoas diariamente são atendidas pelas redes sociais como Facebook e Instagram, além da central de atendimento via Whatsapp que funciona vinte e quatro horas por dia e sete dias por semana. Vale ressaltar que as cartas do projeto são entregues pessoalmente ou nas caixas dos Correios, ao redor do globo.

Por Valter Lobato (jornalista; DRT 3083/PA)

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade