O vereador Pablo Farah (MDB) pediu aos colegas da Câmara Municipal de Belém apoio aos moradores que ocupavam o residencial Viver Pratinha que, segundo ele, estão em situação de grave vulnerabilidade social diante do processo de reintegração de posse movido pela Caixa Econômica Federal (CEF) contra eles. Farah anunciou que apresentaria à Casa um requerimento de apoio formal e pediu ao líder de governo, vereador Igor Andrade (Solidariedade), para atuar como mediador na abertura de um canal de diálogo entre os moradores e a CEF. “Na política tudo é possível quando tem boa vontade”, ponderou Farah.

“São cerca de 700 famílias prestes a perder suas casas e ser condenadas a viver nas ruas e a metade são idosos”, afirmou Farah. Segundo ele, todos os moradores são inscritos no programa Minha Casa Minha Vida, o que poderia justificar um apoio da Prefeitura de Belém a eles através de um TAC. “Eles precisam de ajuda. Quando entraram no conjunto tudo estava abandonado. Então eles gastaram dinheiro, mexeram, fizeram obras para melhorar o local”, afirmou. Ele apelou ao senador Beto Faro (PT-PA) e ao deputado federal José Priante (MDB-PA) para que atuem em favor das famílias do Viver Pratinha.

O residencial Viver Pratinha, no bairro da Pratinha, faz parte do programa Minha Casa Minha Vida e está destinado a 768 famílias vulneráveis já pré-selecionadas pelo programa que aguardam essas moradias há vários anos. A desocupação obedece a uma ordem judicial em acolhimento a pedido feito pela CEF para conclusão das obras.

Texto: Socorro Gomes
Fotos: Renan Alvares/SERFO-DICOS

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade